Mudou as regras?

O tempo todo vejo as regras do jogo mudar, a velocidade que isso acontece é tão rápida que fico até assustado e as vezes me pergunto como conseguimos adaptarmos tão rápido as mudanças? Tudo tem mudado tão depressa que até valores e crenças estão em constante mudança.

STOP

Explico:

Lembro da minha infância quando que por brincadeira vendi geladinho na praia, aquilo não foi apenas uma brincadeira e sim a primeira lição de empreender, naquela brincadeira consegui cumprir praticamente todas as etapas de uma empresa:

– Comprar: Compramos suco em pó, sacos plástico, açúcar, isopor….

– Industrializar: Preparar o suco, colocar no saquinho, levar a geladeira…

– Vender: Levar o produto até o cliente, oferecer, negociar, receber e gerar lucro.

Se me recordo bem, tinha 6 anos de idade e olhando os dias atuais ainda me parece que isso aconteça da mesma forma, mas por incrível que pareça, não é mais assim.

Mudar as regras do jogo é importante para dar mais viabilidade, atender melhor os clientes com melhores custos, deixar mais dinâmico, ter mais interação, como sou viciado em esportes e workaholic, vou misturar um pouco os exemplos.

Ainda lembro do jogos de vôlei de 1990, lembro daquela VANTAGEM que o outro time tinha quando recuperava a bola e para marcar um ponto teria que ser o dono da vantagem. Nossa, como o voleibol melhorou mudando a regra, hoje é dinâmico, rápido e as pessoas não cansam assistindo os jogos, trouxe público, patrocinadores e até as redes de tv investem mais.

Nessa copa do mundo (2014) tivemos a bola com chip, tanto se falou até que foi implantado e daqui alguns dias os campeonatos estarão com a tecnologia em todos os jogos. Sem contar o spray do árbitro que nós brasileiros inventamos, o juiz na linha de fundo e com certeza o impedimento eletrônico estará operando em pouco tempo, trazendo assim um pouco mais de justiça em alguns resultados.

Assim como no tênis e no futebol americano, existe o DESAFIO, é quando existe dúvida você pode olhar as imagens para ver como foi o lance, no tênis esse recurso é computadorizado com precisão de 1 milimetro, que incrível!

E nas empresas, como vemos essas mudanças de regras? O que a história do geladinho na praia tem a ver com todas essas mudanças?

Voltando ao passado, me recordo quando tinha 16 anos e era estagiário na Caixa Econômica Federal trabalhando no setor de fundo de garantia onde me relacionava com os escritórios de contabilidade, até que um dia fui pedir emprego em um escritório para trabalhar das 07:00 às 10:00 de graça, só para aprender um pouco da contabilidade, nossa… foi super difícil conseguir.

Hoje empresas pagam para alguém aprender uma profissão, e isso é a coisa mais natural do mundo, na verdade acho até correto, pois assim exigimos mais e moldamos o profissional, mas daqui alguns meses se esse profissional não estiver alinhado com os valores da empresa, ele vai embora e diz apenas um tchau.

Hoje produzimos produtos gratuitos para trazer clientes, isso mesmo, amostras grátis é estratégia do passado, hoje desenvolvemos softwares gratuito para vender outros produtos, queremos valorizar mais as marca, ter mais corpo empresarial e mais clientes para ser convertido.

Há alguns dias lançamos um aplicativo para celular http://www.acheioperadora.com.br para facilitar a vida das pessoas e evitar aquela famosa pergunta quando vamos pegar o número de celular de alguém “Qual é sua operadora?”, em poucos dias foram milhares de downloads.

Sentado em um bar com algumas pessoas, um cara me pergunta: –“Marcelo, você contratou um profissional para desenvolver, outro profissional de marketing para divulgar, investiu em mídia, paga milhares de reais mensalmente para manter servidores e atualizações para entregar tudo de graça, o que você ganha com isso?”. Tentei dar uma resposta simplista, disse a ele: “As regras mudaram, hoje as pessoas compram comportamento, informação e consequentemente outros produtos da mesma marca”.

Hoje lidero uma rede de franquias com dezenas de unidades espalhadas pelo Brasil, fazemos um trabalho incrível na franqueadora, nosso back office é super valorizado pelas unidades que usufrui, lembra da história do Geladinho? pois é, hoje o franqueado não precisa mais comprar, desenvolver, pesquisar, produzir, divulgar, seu papel é vender e cuidar bem do cliente, nós cuidamos de todo o resto.

A Gigatron inovou o mercado de tecnologia, muitos da área ainda não entenderam essa mecânica, todo valor não está mais nos produtos e sim nas pessoas que participam da rede, pessoas que nutrem o sistema diariamente com informações de prospecção, visitas, atendimentos, comportamentos e conectam os clientes cada vez mais em nossa rede.

Hoje as empresas que vendem com inteligência tem maior fidelidade, processos são automatizados, números são consolidados, trabalhamos para gerar escala e não ter mais clientes regionais, queremos ser global, estamos mudando as regras todos os dias, é preciso se adaptar e manter conectado, caso contrário sua empresa estará morta daqui alguns dias.

Marcelo Salomão Guimarães – Gigatron Franchising

Rede de franquias em tecnologia

Marcado com: , , , ,
Publicado em Artigo, Franquias, Motivação, Software

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Categorias

Insira seu e-mail para seguir esse blog e receber nossas novidades.

Junte-se a 2.318 outros seguidores

  • Ocorreu um erro. É provável que o feed esteja indisponível. Tente mais tarde.
Gigatron Franchising
(18) 98132-8386
Segunda a Sexta das 08:00 as 18:00
e-mail: comercial@gigatron.com.br
%d blogueiros gostam disto: