8 tendências na contratação de TI que não podem ser ignoradas

Escrito por Elvis Fusco

O mercado de trabalho de TI, assim como qualquer outro mercado, não é estático. Também está sujeito a tendências, interrupções e altos e baixos. Você não pode fazer uma busca por emprego – ou gerenciar sua carreira em geral – com exatamente as mesmas estratégias usadas há cinco anos, por exemplo.

Isto é especialmente verdade para os profissionais de TI; as tecnologias e habilidades necessárias para o sucesso estão em constante evolução, talvez até mais do que em outros setores. Então, com o que você deve se preocupar agora? Pedimos ao recrutador de TI Paul DeBettignies, chefe do Minnesota Headhunter, sua opinião sobre algumas das principais tendências de contratação dos dois lados da mesa de entrevista.

Para os que buscam emprego…

1. Perfil em mídias sociais não é moda

O uso de sites sociais como LinkedIn, Twitter e Facebook por recrutadores não é novidade. Mas, se intensificou nos últimos tempos, de acordo com DeBettignies, conforme talentos de TI se tornaram mais difíceis de encontrar. Sim, perfis sociais atualizados irão atrair mais interesse – e, algumas vezes, não desejados – de recrutadores e gerentes de contratação. Mas também irão ajudar a reduzir buscas irrelevantes.

“Profissionais de TI podem dar uma mãozinha aos recrutadores se seus perfis no LinkedIn e bio do Twitter trouxerem informações como, “Nome da cidade” e “Engenheiro de Software” ou “.Net Developer”, exemplificou DeBettignies. “Enquanto essa mudança pode atrair mais buscas de recrutamento, também pode afastar as buscas desnecessárias”.

2. Currículos: Não irão desaparecer, mas deixam de ser o cartão de visita

O bom e velho currículo ainda não saiu de cena completamente, de acordo com DeBettignies, mas está dando espaço para métodos mais modernos de apresentação pessoal para possíveis empregadores. Ele observou que essa mudança trabalhando tanto com seus próprios clientes quanto em outras empresas de tecnologia.

“O currículo não é necessário para a apresentação inicial”, disse ele. “Envie-me um resumo, um link para seu portfólio ou um perfil bem escrito no LinkedIn. GitHub ou outros repositórios também são bem aceitos. Isso me ajuda a conhecer melhor o candidato, com mais agilidade do que o currículo tradicional”.

Dito isso, você ainda precisa de um currículo atualizado e bem polido para muitas situações de contratação. “Em algum momento, eu vou querer ver o currículo também”, disse DeBettignies. “Eu não acho que o currículo irá desaparecer; é um mal necessário”.

3. Primeiro, busque internamente.

Se você estiver se sentindo miserável em seu emprego atual ou, talvez, trabalhando para uma empresa rumando à falência, sua estratégia de busca por um novo emprego pode ser resumida em “qualquer outro lugar”. No entanto, a melhor oportunidade pode estar bem na sua frente ou no final do corredor. Isso porque cada vez mais empregadores de tecnologia têm encontrado retorno mais forte investindo em seus próprios profissionais em vez de buscas externas de talento, de acordo com DeBettignies.

“Com o mercado de trabalho de TI tão apertado, as empresas têm buscado treinar ou oferecer educação continuada aos funcionários atuais para obter as habilidades necessárias”, explicou DeBettignies. Não deixe passar oportunidades de programas de treinamento ou educação oferecidos por seu empregador; esses programas podem ser o próximo degrau na escada de sua carreira, disse ele. “Aproveite programas educacionais, peça para participar de aulas e conferências, pegue certificados”.

4. Aprenda a linguagem do negócio.

“iOS, Android, Ruby on Rails, Java… todos estão falando de linguagem de computador”, disse DeBettignies. “A melhor linguagem que você pode aprender é a do negócio. Você não precisa falar como se tivesse MBA, mas ser capaz de conversar com usuários, clientes e executivos C-level não tem preço. É uma habilidade raramente terceirizada”.

5. Encontre-se com possíveis empregadores mesmo que não esteja procurando emprego

Só porque você não está de fato em busca de emprego, não significa que não possa se encontrar com pessoas ou empresas em que possa, um dia, querer trabalhar. (Há também o senso geral de carreira que diz que é mais fácil encontrar emprego quanto não está procurando).

“Se eu fosse um profissional de TI, eu conversaria, ocasionalmente, com empresas onde gostaria de trabalhar um dia”, disse DeBettignies. “Isso poderia acontecer informalmente em eventos de tecnologia, encontros de grupo de usuários ou conversas individuais em um café”.

Para gerentes de contratação…

6. Priorize habilidades na descrição do cargo.

Se estiver escrevendo descrição de cargo que seja apenas uma lista de habilidades necessárias, considere modificar sua abordagem para encontrar melhor compatibilidade de talento: priorize linguagens de programação e outras habilidades em ordem. Isso ajuda tanto você quanto possíveis empregados.

“Tenho visto, especialmente em startups, exigências de habilidades técnicas sendo listadas em termos de ‘obrigatória’, ‘interessante’ e ‘bom se tiver [como extra]’, versus uma longa lista de 14 itens”, disse DeBettignies. “Isso permite uma melhor compreensão do que o cargo exige”.

8. Desenvolva “piscinas de talento”.

Assim como equipes profissionais de esporte ficam de olho em atletas e sistemas de “cultivo” em organizações, alguns negócios fazem o mesmo criando “piscinas de talento”.

“Grandes empresas têm feito isso há anos e agora está começando a chegar a empresas menores e startups de tecnologia”, afirma DeBettignies. “A ideia é ‘recrutamento sempre’ – porque, se um desenvolver Android não for necessário hoje ou este mês, sabemos que vamos precisar de mais dois ou três ainda este ano, então, crie constantemente relacionamentos com novos desenvolvedores e mantenha contato com todos eles”.

8. “Ocupado demais” para recrutar? Prepare-se para o talento medíocre ou inexistente

“Um grande número de CEOs de startups diz que não tem tempo para recrutar. O que é loucura”, disse DeBettignies. “Eles dizem que entre escrever códigos, cuidar do dia a dia dos negócios e levantar fundos, eles não têm tempo para recrutar”. Arrume tempo ou sofra com as consequências da ausência de talentos.

Por outro lado, DeBettignies oferece algumas considerações finais para aconselhar profissionais de TI: como alguns executivos e gerentes de contratação não se encontram frequentemente com possíveis acréscimos às equipes, cabe a você dar o primeiro passo. Não espere sentado que eles venham te procurar. “Saber gerenciar sua carreira, incluindo pensar sobre novas oportunidades, é um dever”, pontua DeBettignies. “A ideia de esperar ser contatado é obviamente reativa e pode sair caro no longo prazo”.

Rede de franquias em tecnologia

Publicado em Artigo, Noticias de TI

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Categorias

Insira seu e-mail para seguir esse blog e receber nossas novidades.

Junte-se a 2.318 outros seguidores

  • Ocorreu um erro. É provável que o feed esteja indisponível. Tente mais tarde.
Gigatron Franchising
(18) 98132-8386
Segunda a Sexta das 08:00 as 18:00
e-mail: comercial@gigatron.com.br
%d blogueiros gostam disto: