Como driblar o déficit de profissionais neste setor enfrentado no País?

 

O mundo todo está cada vez mais conectado, e os profissionais tornam-se cada dia mais requisitados e indispensáveis para qualquer empresa, seja ela do setor de tecnologia ou de qualquer outro segmento, já que é uma área que cresce a cada dia. Mas engana-se aquele que pensa que basta apenas gostar de computadores, pelo contrário, o principal passo para se dar bem na área é ter habilidades e atitudes que serão avaliadas como diferencial pelo mercado.

É o que confirma Marcelo Salomão, diretor executivo da Gigatron Franchising, rede de serviços em tecnologia, com mais de 160 unidades espalhadas pelo Brasil afora, além de quatro unidades internacionais. “Acreditamos que o maior diferencial de um profissional, independente da área, é possuir habilidade e atitude. O conhecimento não é tão priorizado, cada um tem uma curva de conhecimento diferente que pode ser aplicado em várias áreas, isso faz com que tenhamos profissionais polivalentes e possa estar presente em vários projetos de diversas áreas na empresa”, avalia o empresário sobre o perfil do profissional na área da tecnologia.

No entanto, a falta de mão de obra qualificada no Brasil é preocupante e também não é um problema dos dias atuais, pelo contrário esse cenário que vem se arrastando há anos gera preocupação para o setor de tecnologia.

O Brasil é o segundo país da América Latina que mais enfrenta dificuldade para contratar profissionais nesse setor, apenas atrás do México. Salomão acredita que um dos principais motivos é porque a profissão ainda não é regulamentada como, por exemplo, engenheiros, médicos, contadores, enfim, profissões que faz com que logo após a formação é possível ingressar no mercado de trabalho com um salário base da categoria que é relativamente bom. Já na área de tecnologia isso não acontece na maioria das vezes.

Déficit de profissionais
Assim como marcas voltadas ao setor de tecnologia, a Gigatron também vem sentido esse impacto, principalmente através do modelo de negócio de Softwares. “A contratação de profissionais especializados não é rápida. É recorrente o número de vezes que efetivamos a contratação de profissionais que moram em outras regiões do país para suprir nossa demanda. Em alguns períodos ficamos com a vaga em aberto por meses devido à falta de profissional capacitado”, ressalta Salomão sobre a preocupação do impacto que isso causa até mesmo para a economia, pois sem esses profissionais a rede não consegue crescer na velocidade que gostaria.

Entre os profissionais que a franquia mais sente falta na hora de contratar estão os Desenvolvedores de Software. O motivo é muito simples: o mercado está tão aquecido, que a demanda é bem maior que o volume de profissionais que se formam nesta área.

Para tentar driblar essa carência de trabalhadores capacitados e que consequentemente atrasa o lançamento e andamento de novos serviços, o empresário explica que tem dado foco em projetos específicos e que possam ser altamente escalado para não ter que ficar construindo novos produtos, assim, é possível replicar várias vezes o que a empresa possui pronto ao invés de construir algo novo.

Outra saída que a rede encontrou e que vem surtindo efeito foi investir em processos seletivos aprimorados que despertam os perfis de cada candidato, além de também contar com treinamentos específicos para cada modalidade de atuação. A execução desse processo seletivo é feito de maneira padrão e segue em média 15 dias para finalização e preenchimento da vaga.

“Normalmente após todo o processo seletivo e de treinamento, conseguimos manter o funcionário por um bom período de tempo na empresa. Em seguida, conseguimos aplicar o perfil e personalidade do colaborador dentro da organização”, diz Marcelo Salomão.

Hoje em dia, apenas uma graduação não está sendo mais suficiente para chamar a atenção das empresas. Aliás, ter uma graduação não é assim tão imprescindível para trabalhar numa das maiores redes de tecnologia: a Gigatron. O diretor executivo conta que sempre busca olhar para capacidade de entrega e comprometimento da pessoa. “Temos vários funcionários na empresa sem graduação, mas com uma curva de conhecimento alto”, diz.

Área em constante atualização
Trabalhar com tecnologia é fascinante, mas também exige constante atualização dos profissionais. As novidades são quase diárias, o que faz a rotatividade do mercado ser grande: todo dia surgem novos processos que desencadeiam novas especialidades e demanda por colaboradores a par dessas novidades, por isso a necessidade de estar sempre se reinventado e mantendo conectado com toda informação nova que surge no mercado voltado a esta área.

Atualmente, todos os investimentos da Gigatron estão direcionados para o mercado SaaS (Software as a Service) e aplicativos para celular, seguindo assim a tendência e oportunidades do mercado.

Sobre a Gigatron Franchising
Fundada em 1998, na cidade de Birigui, interior de São Paulo, a Gigatron Franchising se destaca pela inovação e qualidade de seus produtos e serviços dentro da área de Tecnologia da Informação, oferecendo duas modalidades de negócios. Uma delas é o Certificado Digital, que atua com a venda de certificados para pessoas físicas e jurídicas e representa quase 70% da rede. Com ela, o franqueado atua com o modelo AGR (Agente de Validação Externa). A outra modalidade é a de Softwares, segmento que oferece a implantação de mais de 20 soluções em softwares para empresas de varejo e prestadores de serviços, que faturam até 3,6 milhões por ano, em diversas áreas de atuação. Atualmente, a rede possui 162 unidades, sendo quatro dessas internacionais (Portugal, Argentina, Reino Unido e Estados Unidos).

Quer saber mais? Acesse nosso site: http://www.gigatron.com.br/

Publicado em Franquias

Franquia de Software?

É de total relevância que as pessoas tenham dúvidas sobre essa franquiaUm comércio que está alavancando a cada dia mais, desperta interesse de quem quer investir em uma franquia no segmento da tecnologia, ou quem ainda não sabe como investir o seu dinheiro.

Para tentar solucionar esse problema, em uma conversa com o nosso Gerente de Expansão, Victor Ruiz, esclareceremos as dúvidas mais frequentes. Veja:

Dúvidas frequentes sobre nossa franquia de software

1 – Quem precisa desses softwares? Pra quem devo oferecer?

A franquia de software é um modelo de negócio voltado para profissionais e empreendedores da área de tecnologia, e visa entregar softwares de automação comercial para o pequeno e médio varejo.

2 – Qualquer pessoa pode ser um franqueado?

Profissionais que tem o sonho de adquirir seu próprio negócio, Empreendedores, pessoas com expertise em TI e atualidades do mercado de tecnologia, prontas para se dedicar a altas jornadas de trabalho.

3 – Quais são os processos e quanto tempo demora para eu começar as vendas?

O processo basicamente consiste em demonstrar interesse pela franquia, fazer o investimento, a partir do investimento iniciamos a liberação do treinamento online, nele tem 15 dias de duração, após a conclusão do treinamento e envio de documentos, o franqueado já pode iniciar as vendas.

4 – Quais as vantagens de ser um franqueado Gigatron?

Hoje as principais vantagens que disponibilizamos para nossos franqueados é o portfólio de produtos onde ele consegue capilarizar diverso segmentos de mercado, além de estrutura como suporte técnico, comercial, ações de marketing, que auxilia o franqueado a monetizar a sua franquia.

Se interessou? Quer saber mais sobre a Gigatron? Entre no nosso site e conheça nossas franquias: http://www.gigatron.com.br/

Publicado em Franquias

Softwares que transformam empresas!

  

  A Gigatron oferece a implantação de 20 soluções em softwares direcionada a empresas de varejo e prestadores de serviços que faturam até 3,6 milhões por ano, em diversas áreas de Gigatronatuação. São soluções que auxiliam os empresários em ações cotidianas de seus empreendimentos, como logística, controle de estoque, emissão de notas fiscais, entre outros. Conheça as principais características deste modelo de negócio:

– Software de Retaguarda e Gerencial GigaERP: Carro-chefe da marca, é um produto desenvolvido para controle de um estabelecimento varejista (comércio em geral); exceto posto de gasolina e farmácia. Contempla todas as obrigações exigidas pela legislação. Este software é utilizado através de um computador e as pessoas envolvidas no processo alimentam as informações e o software faz o gerenciamento automaticamente podendo ser online ou off-line se conectado a outros módulos.

– Frente de Caixa: Módulo do GigaERP responsável pela gestão de vendas (orçamento, condicional, requisições, ordem de serviço e vendas), com a possibilidade de emissão de documentos fiscais.

– Software Giga Chef: Tem com gerenciamento de cozinha, delivery, controle de mesas podendo opcionalmente ser integrado com Tablet/Celular (Android) para cardápio digital, comandas eletrônicas e fechamento de conta. O tablet/celular (Android) roda através de um webservice local por wi-fi integrado ao GigaERP. Setores de preparação podem ter impressoras ou monitores touch screen.

– Gerenciador da Nota Fiscal Eletrônica Giga NF-e: Módulo que realiza a comunicação entre o GigaERP e a SEFAZ que contempla nota fiscal eletrônica de produtos (e, nenhum outro documento fiscal). Neste caso, é indicado a utilização do produto E-doc, pois inclui todos os possíveis documentos fiscais.

– Giga Relatórios Web: Software integrado a plataforma GigaERP para visualização dos relatórios na web e dispositivos móveis. Para isso, é instalado um servidor Windows junto com um link de internet na empresa permitindo o acesso ao software.

– Giga Força de Vendas: Software de vendas pela WEB integrada ao GigaERP. O vendedor faz acesso ao módulo WEB que permite os lançamentos em modo orçamento trabalhando integrado na base de dados do GigaERP.

– Software Emissor de Cupom Fiscal Giga PAF/ECF: Software que atende a legislação do PAF-ECF, obrigatório para os estados que optaram pela legislação do PAF-ECF.

– Giga Cobrança: Módulo para Cobrança Bancária que permite a emissão de boletos envio e retorno de remessas bancárias.

– Giga E-Doc: Módulo que permite a emissão de documentos fiscais: NF-e, NFC-e e NFS-e. O uso da NFS-e está sujeito a consulta prévia para verificar se o município desejado encontra-se ou não homologado.

– Bicola: Software desenvolvido para o desenvolvimento e impressão de etiquetas, rótulos e mala direta. Este software trabalha com ferramentas gráficas de fácil utilização, clicando e arrastando para construir o modelo.

– Software Push Pull (Replicador de dados): Módulo que permite realizar uma carga de dados de uma retaguarda GigaERP para o módulo Giga PAF-ECF; permitindo realizar vendas off-line. Para utiliza-lo é necessário parametriza-se uma empresa matriz para enviar dados a um ou mais pontos de vendas das filiais. No início do dia é realizado uma carga da matriz para os pontos de vendas e ao término do expediente, a matriz busca toda movimentação.

– GigaReports e Compilador: Software que permite a montagem de relatórios personalizados de forma rápida gerando ganho de produtividade no desenvolvimento do software. O usuário entra com os comandos e seleções de campo desenhando o relatório no formato desejado.

– GigaBI: Software que permite a montagem de visões gerenciais personalizadas de forma rápida gerando rapidamente uma visão do negócio através de um cubo de dados. O usuário entra com os filtros e seleções de campo desenhando as informações pertinentes ao negócio visualizando em forma de planilha ou gráfico.

– Software Giga Cep: Web Server com a base de CEP atualizado para consultas online ou disponível em Banco de dados. Para utilizar, o acesso ocorre por um webserver à franquia ou software house acessa a base de CEP online.

– Terminal de Consulta: Software para consulta online de preço. Pode ser utilizado com monitor convencional ou touch screen.

– Financeiro: Módulo de finanças extraído do GigaERP com todo o gerenciamento financeiro de contas a pagar, receber, movimento bancário, razão de despesas e fluxo de caixa.

– Giga Backup: Realiza o backup (cópia de segurança) de todos os dados parametrizados previamente.

– Controla Bem: Software de gestão acessado via WEB, sem instalação local, ideal para microempreendedores e profissionais autônomos. Possui fluxo de caixa, contas a pagar e receber, controle de estoque, controle orçamentário e emissão de nota fiscal de produto. Pré-requisitos: O usuário deve ter internet com acesso à web. Se for utilizar emissão de nota fiscal de produto, é obrigatório possuir o certificado digital A1.

– Giga SMS: Módulo de disparos de SMS no formato Short Number sendo possível realizar disparos em massa importando uma base de números e inserindo mensagens com limite de 160 caracteres.

Ficou interessado em investir neste modelo de negócio?! Marcelo Salomão conta que a dica para se tornar um futuro franqueado de sucesso é que além de ter perfil empreendedor detalhista com experiência em rotinas administrativas, o investidor deverá possuir conhecimento técnico no setor de tecnologia, ter habilidade no relacionamento humano, facilidade de comunicação com o público, possuir visão mercadológica, estratégica e de marketing, identidade e perfil com o negócio proposto pela franquia.

Outra dica, é que é preciso se reinventar, aproveitando as novidades para tornar o processo mais rápido, mais eficiente, mais barato de operar e mais fácil de usar.

O investimento deste modelo de negócio é de R$10.860,00, considerando taxa de franquia mais taxa de instalação e capital de giro. O faturamento bruto mensal de um franqueado no modelo software é de R$ 30 mil, com lucro médio mensal de R$ 12 mil. Enquanto o prazo de retorno do investimento está estimado entre 1 a 12 meses.

Publicado em Franquias

Internacionalização da Marca: Vale a Pena?

A busca por expandir seus negócios e tentar atingir um novo cenário de atuação é cada vez mais frequente, e que empresas brasileiras levem suas operações para fora do país, a chamada “internacionalização da marca”. Afinal, em um período onde o Brasil passa por extrema fragilidade econômica e política, é natural que haja essa movimentação para territórios no exterior.

Uma pesquisa realizada pela Fundação Dom Cabral (FDC), em 2013, apontou que a internacionalização das empresas nacionais cresceu 1,6%, passando de 21,3% em 2012 para 22,9% no período posterior.

Já no ano de 2015, um levantamento chamado “Gestão Internacional e Empresas Brasileiras”, feito pela Fundação Getúlio Vargas (FGV) em parceria com a Universidade de São Paulo (USP), mostrou um crescimento de multinacionais brasileiras em solo estrangeiro equivalente a 50% entre 2010 e 2015.

Mas é necessário deixar claro que não é preciso ser uma empresa gigante para se internacionalizar. É óbvio que deve se ter uma consolidação da marca no país para avançar rumo aos demais, porém, o tamanho – de certa forma – não importa.

Todos esses dados servem para comprovar algumas questões. Uma delas está na limitação dos brasileiros em empreender em seu país. Não se deve generalizar, mas, em muitos casos, os empreendedores se deparam com algumas dificuldades tributárias e burocráticas, inviabilizando o avanço de seus negócios. A crise econômica também é um grande fator.

A internacionalização, sem dúvidas, agrega muito valor e reconhecimento para a marca. Com atuação fora do território nacional, as operações podem melhorar até mesmo dentro do país de origem da marca.

“O Cenário que atuamos hoje demonstra uma ambiente competitivo, onde as grandes marcas começam a expandir. A importância de internacionalizar a rede está conectada com a competição, mas, além de tudo, agregar um valor e um diferencial na solução que apresentamos fora do pais”, afirma Victor Ruiz, gerente comercial da Gigatron Franchising, franquia do setor de tecnologia que começou seus trabalhos em busca da internacionalização.

A rede apresenta alguns modelos de negócio focados na Certificação Digital e em Softwares de Gestão ERP. Eleita a melhor franquia do segmento tecnológico do Brasil no ano passado, agora foca em levar o nome da rede para os Estados Unidos.

Com o início do processo em fevereiro deste ano, a franquia chegou, com sua primeira unidade, a São Francisco, na Califórnia. A escolha pelo local pesou por conta do alto número de brasileiros na cidade e por ser um polo tecnológico primoroso.

A princípio, o modelo de negócio trabalhado é o de Certificados Digitais, onde o franqueado pode atuar como PA (Ponto de Atendimento) ou como AGR (Agente de Registro).

“Hoje, visamos diversas colônias de brasileiros localizadas fora do país, nosso principal foco é atender essas pessoas sem precisar que elas venham até o Brasil. Isso porque, hoje, o certificado digital é algo indispensável na vida dos brasileiros para realização de diversos trâmites”, destaca Victor.

No ano de 2016, a Gigatron faturou R$27 milhões. Com a internacionalização dos serviços, a meta é alcançar R$34 milhões, com a previsão de dez franquias atuantes em território norte-americano, nas cidades de Miami, Dallas, Nova Iorque e Boston. Alemanha, Portugal, Reino Unido (Londres) e Itália (Madri) já estão em processo de negociação.

Publicado em Franquias

São Francisco, na Califórnia, EUA, já pode contar com unidade da Gigatron oferecendo serviços de Certificado Digital

O comércio internacional é um ambiente muito competitivo e marcas globais são reconhecidas pela excelência que entregam ao consumidor em seus produtos. Neste sentido, a internacionalização de uma marca gera para ela um valor intangível de maneira semelhante a um selo que atesta sua qualidade. Foi pensando nesta maneira inovadora, que a Gigatron Franchising, rede de franquias de serviços em tecnologia, está expandindo seu modelo de negócio para novos países.

A marca começou a atuar em São Francisco, na Califórnia, EUA. O primeiro escritório da rede na ‘Terrinha do Tio Sam’ é um grande passo para a franquia, que iniciou em fevereiro deste ano o projeto de internacionalização. Essa operação conta com o apoio da Apex (Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos).

A escolha do país em questão está atribuída ao fato dos Estados Unidos concentrarem uma quantidade significativa de colônias brasileiras, tendo como objetivo principal estar próximo do maior celeiro tecnológico do mundo, o que possibilita ainda atuar na expansão internacional. Os serviços serão de responsabilidade do recém-franqueado Gabriel Cantarin Simões, de 22 anos, formado em Empreendedorismo pela Draper University, na Califórnia. O trabalho será realizado no Distrito Financeiro de São Francisco, na região da The Bay Area, conhecida no Brasil como Vale do Silício. No entanto, a atuação não será restrita apenas à cidade de São Francisco, o franqueado também irá poder emitir o serviço para toda a região ao redor.

Modelo inovador

Neste primeiro momento, a marca trabalhará com o modelo de negócio Certificado Digital, serviço esse que é a menina dos olhos da Gigatron Franchising, já que cerca de 70% dos modelos de negócio da rede é voltado para a comercialização e emissão de certificados digitais. “É nosso modelo de negócio que mais cresce! Finalizamos o ano passado com 84 unidades desse modelo de negócio. Agora temos 90 e nossa meta, para até o final de 2017, é chegar a 140 franquias de certificado digital no Brasil”, revela o diretor executivo da marca, Marcelo Salomão.

O que mais chama a atenção no negócio de Certificados Digitais da Gigatron é a possibilidade do franqueado atuar em vários segmentos, dentro desse modelo: como o PA (Ponto de Atendimento), modalidade de negócio para venda de certificado digital de baixo investimento direcionada especificamente para escritórios de contabilidade e empresas que desejam fazer do certificado um produto a mais para entregar a seus clientes; o AGR (Agente de Registro), que trabalha com a prospecção de Pontos de Atendimento e comercializando certificados. São modelos de negócios cujos valores de investimento inicial variam de R$ 1.000,00 a R$ 15.500,00.

Internacionalização

O funcionamento da franquia de certificado digital no exterior vai ser muito semelhante ao do Brasil, todo o processo para se tornar um franqueado é o mesmo, e o fluxo de trabalho também não sofre nenhuma alteração. As exigências para se tornar um franqueado também são as mesmas, ou seja, o agente de registro precisa ter mais de 18 anos, Ensino Médio completo, carteira de trabalho e nome limpo. Assim como no Brasil, a intenção da Gigatron será emitir certificados digitais com o máximo de segurança, agilidade e com um preço competitivo. O certificado tem a mesma validade do emitido no Brasil. O franqueado também poderá fazer o delivery do certificado ou seja, ir emitir o certificado no endereço da pessoa interessada.

Nos EUA o diferencial será o custo para o investimento inicial de 2 mil dólares anual e o prazo de retorno estimado de 3 a 6 meses, números esses que diferem do que ocorre no Brasil. No entanto, os franqueados podem ficar tranquilos, pois o faturamento continuará sendo de R$ 15 mil para este modelo de negócio.

Atualmente, o modelo tradicional de uma franquia de Certificado Digital no Brasil, oferecida pela Gigatron, exige um investimento de R$15.500,00 (taxa de franquia mais taxa de instalação e capital de giro), no caso de loja física e de apenas R$4.5 mil, no formato home office. Em ambas as situações, o faturamento médio mensal estimando é de R$15 mil e lucratividade de R$3.5 mil, com prazo de retorno de investimento de três a seis meses. “Ou seja, são modelos extremamente acessíveis que se encaixam no perfil que chamamos de ‘nanofranquias’, ou seja, cujo investimento é de até R$20 mil”, lembra o diretor.

Unidades que avançam além do Brasil

Salomão, empreendedor nato, percebeu que o negócio poderia ser rentável nos EUA, devido à quantidade surpreendente de brasileiros que residem no país americano e que possuem negócios no Brasil. “É através dessa solução do Certificado Digital que ele conseguirá definir essas ações sem ter que vir até o Brasil. Trata-se de uma ação fantástica para marca. Além de promover o crescimento da rede, vamos estar inserindo oportunidades para os brasileiros localizados em outros países”, explica o empresário sobre a carência deste serviço naquele país.

A ideia é gerar a solução do certificado digital, para diversas finalidades, uma delas é assinatura digital com valor jurídico, que pode facilitar muito a vida do brasileiro que se localiza em outro país. A meta da Gigatron é atingir 15 unidades até o final de 2017, tendo como principais países para expansão: EUA (Miami, Dallas, Nova Iorque e Boston), Alemanha, Portugal, Reino Unido (Londres) e Itália (Madri), que já estão em processo de negociação.

A marca, que conseguiu faturar no ano passado R$ 27 milhões, tem expectativa de crescer ainda mais em 2017, na qual pretende fechar o ano com R$ 34 milhões no faturamento.

“O mercado de tecnologia está com uma previsão de crescimento de 10%. Hoje as soluções de software e certificado digital, vêm sendo cada vez mais aplicadas em empresas através de planejamentos e exigências que são impostas nesse mercado. A ideia é gerar vantagens e benefícios para esses estabelecimentos e inovar sempre nesse mercado de tecnologia”, conclui Salomão.

Atualmente a Gigatron conta com 162 unidades em operação em diversas cidades do país, e 3 unidades internacionais: Reino Unido, Portugal e Argentina, que oferecem serviços de software, diferentes do que irá ocorrer no EUA, na qual o modelo de negócio em expansão é o certificado digital.

Publicado em Franquias

Gigatron participa da 26ª edição da ABF Franchising Expo levando novo modelo de negócio

O mês de junho vai ser bem agitado para a Gigatron. Isso, pois a franquia participará de uma das maiores feiras da América Latina, se tratando do mercado do franchising: a 26ª edição da ABF Franchising Expo. O evento acontecerá entre os dias 21 e 24 desse mês, no Expo Center Norte, em São Paulo (SP), e promete reunir as várias marcas do setor de franquias.

Após o crescimento que girou em torno de 173% em 2016, a meta da Gigatron para este ano é expandir ainda mais. Na feira, foi projetado um aumento de 35% no número de visitantes entre os quatro dias de evento, com previsão de 50% de crescimento nos negócios fechados.

O objetivo é atrair novos investidores. Profissionais que buscam soluções de tecnologia, em meio a um ambiente fértil para atualização de novos negócios, networking e, o mais importante, mostrando as inovações que farão a sua empresa crescer cada vez mais”, acredita Marcelo Salomão, diretor executivo da Gigatron.

O CONTAINER

A novidade para a feira neste ano fica por conta de um novo modelo de negócio: o container. A modalidade, que é tendência no mercado, agora vai ser disponibilizada pela rede.

Trata-se de um container onde os serviços serão realizados. Podendo se locomover, o franqueado poderá deslocar-se para qualquer lugar com ele e fazer o atendimento de seu modelo de negócio.

O diferencial em optar pelo modelo container está em poder atuar em diversas regiões, contando com uma estrutura completa para validações e, além disso, operacionalizar as vendas. Outra grande vantagem é que está incluso no investimento toda a estrutura que o franqueado precisará para iniciar as vendas e ter um bom resultado”, afirma Victor Ruiz, gerente comercial da rede.

Para essa modalidade, o franqueado terá um investimento inicial de R$ 40,5 mil, com taxa de franquia, capital de giro e de instalação já inclusos. Marcelo Salomão ressalta que, apesar de necessitar de um montante maior para o modelo, a possibilidade do lucro é superior aos outros formatos, com, aproximadamente, R$ 45 mil de faturamento bruto, algo em torno de R$ 20 mil em lucratividade mensal e um prazo de retorno de investimento estipulado de 12 a 18 meses.

Apesar de exigir um investimento acima do que já oferecemos, as possibilidades de faturamento e lucratividade também são maiores. Afinal, a característica de mobilidade do negócio – ou seja, o franqueado pode ir até o consumidor final – facilita a escalabilidade do negócio e gera 40% mais chances de se conquistar cliente que os modelos ‘loja física fixa’ ou ‘home office’”, assegura Marcelo.

MODELOS TRADICIONAIS

Além da novidade para a feira, a Gigatron também disponibilizará seus modelos tradicionais de franquia.

Na modalidade de certificados digitais, para quem deseja investir na loja física, terá que desembolsar o valor de R$ 15,5 mil. Já no formato Home Office, R$ 4,5 mil. Em ambas as opções, o faturamento médio e lucratividade projetados são, respectivamente, R$ 15 mil e R$ 3,5 mil. A marca projeta um prazo de três a seis meses para retornar o investimento.

A franquia de softwares também será trabalhada no evento. O Modelo Básico pode ser adquirido no valor de R$ 4,5 mil e o Modelo Premium por R$ 10 mil.

Publicado em Franquias

Franquia de Certificado Digital? Quatro motivos para escolher a Gigatron

Em um período de total turbulência econômica e política, uma das alternativas é encontrar outras maneiras de empreender e buscar novas tendências no mercado. Vai se destacar quem conseguir se adaptar às mudanças que o setor econômico e empreendedor exigem.

E se você se enxerga com essas características, aqui vai uma dica: aposte na Gigatron. A empresa, que foi premiada como melhor franquia do Brasil no segmento de Tecnologia pela revista Pequenas Empresas e Grandes Negócios, oferece oportunidades com baixo investimento.

Prova disso, listamos quatro vantagens em investir na marca, em sua franquia de maior força no mercado, a de Certificado Digital. Veja:

Apoio Comercial

A Gigatron proporciona estratégias e “gatilhos” para ajudar o franqueado na prospecção e execução da venda.

Essas ações têm o intuito de impulsionar o franqueado, para o mesmo poder criar um bom e amplo networking e uma rede fiel de potenciais clientes e interessados no serviço. Esse “pontapé” é oferecido gratuitamente aos novos integrantes da franquia.

Marketing

A empresa disponibiliza todo o material de divulgação na rede e demais ferramentas de marketing para engajamento do franqueado.

Desse modo, ele poderá planejar e executar diversas ações nas mídias com amparo de uma equipe especializada.

Suporte Técnico

Para todos os processos, a Gigatron cede ao franqueado todo um suporte para melhor administração da franquia.

Ou seja, uma equipe estará disponível para quaisquer dúvidas e adversidades.

Home Office

Você também vai ter a opção de trabalhar de sua própria casa. Essa alternativa de trabalho é proporcionada pela empresa no propósito de flexibilizar horários ao franqueado. A rotina a ser cumprida será determinada por você mesmo.

Isso serve para vários casos: desde pessoas desempregadas às que cumprem outros compromissos. O Home Office pode ser uma grande possibilidade. Se bem aproveita, claro.

Ainda nesse mesmo modelo, existe a opção Delivery, que permite atender o cliente no lugar que ele estiver, seja a casa ou local de trabalho.

Após essas quatro vantagens apresentadas, vale a pena visitar nosso site e conhecer um pouco mais sobre a empresa e suas alternativas de investimento, não é? Para isso, é só acessar o www.gigatron.com.br.

Publicado em Franquias
Categorias

Insira seu e-mail para seguir esse blog e receber nossas novidades.

Junte-se a 2.322 outros seguidores

  • Ocorreu um erro. É provável que o feed esteja indisponível. Tente mais tarde.
Gigatron Franchising
(18) 98132-8386
Segunda a Sexta das 08:00 as 18:00
e-mail: comercial@gigatron.com.br
%d blogueiros gostam disto: